Como negociar com o Devedor

 

Para negociar com os devedores precisamos definir nossa margem de negociação. Mas, antes vamos falar um pouco sobre o medo de abordar o devedor.

Assista agora:

 

Veja aqui a transcrição do conteúdo do vídeo:

 

Para cobrar os clientes inadimplentes precisamos usar o bom senso e ter um pouco de tato na hora da abordagem de cobrança.

O que se aprende por aí é que precisamos respeitar os limites do Código de Defesa do Consumidor.

Mas, eu, particularmente, defendo que antes de se falar em Direitos do Consumidor, devemos aprender quais são os direitos do credor e precisamos aprender também sobre a legitimidade da cobrança.

Bom, para falar desse "Código de Defesa do Consumidor", o artigo 42 diz que o consumidor inadimplente não pode ser exposto ao ridículo, nem ser submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça.

Além disso, o artigo 71 classifica essas práticas como infrações penais.

Medo do Código de Defesa do Consumidor

A preocupação com o código de defesa do consumidor é tão grande, que na prática o profissional de cobrança, que está iniciando a sua carreira, acaba até ficando com medo de abordador o devedor.

Tudo bem que o cobrador precisa ter boas maneiras. Mas, ele não pode demonstrar fragilidade na hora da cobrança.

E para demonstrar firmeza na cobrança o profissional precisa conhecer os fundamentos da cobrança.

A negociação com o devedor

E para a negociação? Antes de fazer o contato de cobrança você precisa avaliar o histórico do cliente, para definir qual vai ser a margem de negociação.

As condições de negociação precisam ser boas o suficiente para incentivar o pagamento, mas, não podem ser tão vantajosas ao ponto de estimular o comportamento de pagamentos em atraso.

Por exemplo, o credor que sempre isenta os juros do devedor, está estimulando o pagamento em atraso.

O cobrador precisa sim demonstrar a sua intenção de ajudar o devedor a solucionar o problema. Precisa escutar as justificativas do atraso. Mas, não pode negociar sem antes entender as reais intenções do devedor.

Se o devedor não tiver a clara intenção de pagar a dívida, não adianta você oferecer facilidades para o pagamento.

Mas, se você identificar que o cliente tem SIM boas intenções, então você pode flexibilizar a cobrança para conseguir receber a dívida e manter o cliente comprando da sua empresa.

Eu sou Denis Siqueira criador do curso avançado de cobrança e recuperação de créditos.

Para saber mais sobre o curso, acesse esse link.

Um grande abraço e até o próximo vídeo.

Dr. Denis SiqueiraDr. Denis Siqueira
CreditoeCobranca.com - Cursos e Treinamentos

 

 

CONTEÚDO VIP

RECEBA NO SEU E-MAIL AS DICAS, PLANILHAS, CHECKLISTS, MODELOS E VÍDEOS EXCLUSIVOS PARA OS PROFISSIONAIS DE CRÉDITO E COBRANÇA!

captcha