Limpar o nome com sabedoria

Com a proximidade do final de ano, as empresas querem recolocar no mercado de consumo seus clientes que por um motivo ou outro acabaram não honrando os compromissos assumidos. Os chamados inadimplentes estão com o nome sujo da praça, ou seja, foram negativados, com isso têm dificuldades em acessar novas compras via crediário. As duas maiores operadoras de bancos de dados utilizados pelos lojistas e bancos estão abertas a negociação. Firmaram convênio com os credores e esperam firmar acordos que permitam a regularização da situação financeira dos até então inadimplentes.

Criaram um sistema online que permite negociações a distância sem que seja necessário ir até a loja fisicamente. É evidente que quem está com o nome sujo na praça deseja recuperar o crédito e honrar os compromissos assumidos. Este grande mutirão para limpar o nome pode se apresentar como uma ótima oportunidade aos consumidores. Não obstante entender que o consumidor deve buscar esta alternativa alerto que é preciso fazer isso com sabedoria.

Explico melhor. Muitos credores, notadamente os ligados ao sistema financeiro, são ávidos em carregar multa e juros no saldo devedor, elevando demasiadamente a dívida inicial. Uma dívida não paga no cartão de crédito, ou empréstimo pessoal, ou outra modalidade de crédito, pode ser elevada em 50, 80 e alguns casos ultrapassar os 100%. Toma emprestado R$ 1.000,00 e, pela mágica da matemática financeira, com juros capitalizados, o valor devido é potencializado, tornando-se absurdamente mais elevado.

No comércio de uma forma geral isso ocorre com menor frequência, contudo, quando tratam-se de lojas de rede normalmente há uma financeira que efetua a venda a crédito e o valor também pode ficar muito acima do razoável. Assim, o primeiro passo é confirmar o saldo devedor, o quanto o mesmo cresceu e qual o desconto oferecido para o acerto. Em outras palavras: desconto de 50%, por exemplo, pode ser somente para reduzir os valores potencializados com juros moratórios. O ponto de partida é o valor original, o valor do empréstimo ou do bem.

Passada esta fase, é hora de saber o tamanho da prestação que o bolso suporta nesta possível renegociação de dívida. Não aceite a primeira proposta. Faça contas. Verifique qual o atual comprometimento de renda e veja qual espaço existente em seu orçamento doméstico. Se entender que a proposta não resolve definitivamente seu problema, resista, negocie, faça contraproposta, enfim, não adianta assumir algo que não irá cumprir.

Depois de tudo acertado, é hora da reflexão: levante as causas, ou seja, o que levou a atrasar este pagamento? Comprou acima da possibilidade? Foi um caso pontual que não ocorrerá mais? Está operando acima de sua capacidade financeira? Fica evidente que não detectar a causa raiz e ser determinado para não incorrer mais no problema, dentro de pouco tempo não conseguirá honrar este compromisso, como fatalmente terá novos problemas financeiros. Cuidar do dinheiro de maneira adequada eleva a qualidade de vida e garante situação estável para prover a família. A sabedoria neste momento pode ser o divisor entre a solução do problema ou somente seu adiamento. Reflita.

O autor, Reinaldo Cafeo, é economista, diretor regional do Corecon e articulista do JC.

Fonte: Jornal da Cidade (Bauru – SP)

 

A recuperação de crédito deve ser também o momento em que o credor corrige sua negligência na concessão de crédito. Ou seja, é também o crédito mal concedido gera a inadimplência e até o superendividamento.

Ser flexível e ajudar o consumidor à encontrar uma solução é um principio de sustentabilidade em crédito.

Saudações,

Dr. Denis Siqueira 

comente aqui

Novo golpe oferece solução pela internet para limpar nome sujo

Um novo golpe na praça atinge quem tenta limpar o nome sujo. As ofertas estão na internet. Quem já está devendo, acaba ficando em uma situação pior ainda.

O desespero para quem está com o nome sujo é grande, mas para sair dessa situação não tem milagre: só renegociando a dívida com o credor. Se alguém apresentar uma solução diferente, fuja, pode ser um golpe.

Desemprego ou descontrole financeiro. Essas são as principais explicações de quem acaba atrasando os pagamentos até entrar no cadastro de inadimplentes. “A gente tenta ir em um lugar para comprar as coisas e é desagradável, a gente passa mico, todo mundo fica olhando. Acho que a gente tem que ter na verdade o nome da gente limpo”, diz a doméstica Luzinete Alves.

“Não compra mais nada. A crédito mais nada em lugar nenhum do mundo”, afirma Nivaldo da Cruz.

Para limpar o nome, é preciso pagar ou renegociar a dívida com o credor, mas alguns espertinhos prometem tirar o nome do devedor da lista de inadimplentes sem que ele pague o que deve. Não existe solução mágica e isso é golpe.

“A melhor forma do consumidor se proteger é estar sempre atento e desconfiar de ofertas que prometem milagres, que prometem resolver a dívida de uma forma instantânea e sem a necessidade de pagamento efetivamente do valor que ele sabe que ele deve”, afirma Vander Nagata, superintendente de informações sobre consumidores da Serasa Experian.

Na internet, é fácil encontrar quem ofereça ajuda para limpar o nome. Cobram taxas para fazer serviços que muitas vezes são gratuitos, como consultas de CPF.

Dalva Rodrigues Garcia caiu em um golpe caro. A filha dela entrou em contato com uma empresa, que faz propaganda na internet e que prometia reduzir o valor da divida pela metade. Foi Dona Dalva quem acabou pagando R$ 300 pelo serviço que nunca foi prestado.

“Prometeu limpar o nome dela e não fizeram nada até hoje. Não mandaram nem notícia, não ligaram. Falou que iam chegar uns papeis pelo correio, que iam ligar aqui e os papeis iam chegar em três dias. Até hoje nada”, lamenta a aposentada.

Quem está com o nome sujo precisa primeiro fazer o levantamento das dívidas e deve tentar fazer um acordo com o credor. O SCPC, por exemplo, oferece até um serviço on-line, onde o cliente pode checar as dívidas e já tentar um acordo com o credor.

Mas antes de negociar, é preciso fazer a lição de casa. “Um dos erros mais comuns das pessoas é procurar o credor para fazer acordo sem antes sentar com a família em casa e fazer a conta de quanto a família tem efetivamente sobrando por mês para assumir o pagamento de parcelas de uma negociação”, explica Fernando Consenza, diretor de inovação da Boa Vista.

A Serasa e a Boa Vista, cada uma das entidades, vão fazer, a partir de segunda-feira, os primeiros mutirões online para limpar o nome. 

Pelo Código de Defesa do Consumidor, quem renegociar a dívida já pode tirar o nome do cadastro de inadimplentes. Isso porque a pessoa continua a ser devedora, mas deixa de ser inadimplente.

Fonte: G1 Bom dia Brasil

comente aqui

Mutirões permitem que consumidor negocie dívidas pela internet com desconto

Consumidores com dívidas vão poder negociar seus débitos pela internet. A Serasa Experian a e Boa Vista Serviços (administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito) lançaram nesta quarta-feira (9) serviços que permitem a realização de acordos online.

O serviço da Serasa Experian vai permitir esses acordos por uma semana (começa à zero hora da próxima segunda, dia 14, e vai até o dia 20). O sistema atende de graça clientes do país inteiro.

O site Feirão Limpa Nome Online vai funcionar 24 horas por dia. Algumas empresas, no entanto, podem ter horários específicos para atender a dúvidas dos clientes. Para participar, é preciso preencher um cadastro no site.

Após isso, o consumidor será levado a uma página onde estarão relacionadas todas as empresas participantes (estão no menu lateral).

Ao escolher e clicar no nome da empresa, surgirá uma página apresentando as dívidas pendentes do consumidor. A partir daí, o consumidor pode entrar em contato para negociar diretamente com as empresas, sem intermediários.

São informados possíveis descontos na dívida, com condições de pagamento diferenciadas. Em alguns casos, é possível até mesmo que o boleto já esteja disponível, a partir de uma proposta feita pela própria empresa, diz a Serasa Experian.

Assim, é possível escolher quais condições e formas de pagamento melhor se encaixam no orçamento.

Entre as empresas participantes, estão lojas, bancos e instituições financeiras, distribuidoras de energia, cartões de crédito e instituições de ensino.

Programa da Serasa faz parte de projeto permanente

Segundo a Serasa Experian, o Feirão Limpa Nome Online faz parte do Limpa Nome Online, serviço gratuito e aberto para os cidadãos em tempo integral. Lançado no ano passado, o Limpa Nome Online conta com a participação de cerca de 60 empresas de diferentes setores.

Assim, caso o consumidor não possua débito em aberto com nenhuma das empresas participantes do Feirão, ele ainda pode verificar a existência de pendências com as outras companhias participantes do Limpa Nome Online e igualmente negociar suas dívidas.

O procedimento é o mesmo do mutirão: entrar no site e se cadastrar. Segundo a Serasa, o índice de sucesso nas negociações chega a 80%.

Boa Vista faz negociação por dois meses

O “Mutirão Online Acertando suas Contas”, da Boa Vista Serviços (administradora do SCPC), vai de 14 de outubro até 14 de dezembro.

Para participar, o consumidor deverá acessar o site do serviço, fazer seu cadastro e consultar o seu CPF. Se houver dívidas registradas no nome do consumidor, ele terá acesso a propostas exclusivas para a renegociação.

O objetivo da Boa Vista, que já promove feirões de renegociação de forma presencial, é aumentar o alcance dessas ações.

“O Mutirão Online Acertando suas Contas alcançará um número ainda maior de consumidores, principalmente em regiões em que os mutirões presenciais ainda não chegaram”, diz Dorival Dourado, presidente da empresa.

O mutirão pela internet vai reunir empresas de diversos setores da economia, como telecomunicações, utilidades domésticas, bancos, varejo e indústria. As renegociações são feitas caso a caso.

Fonte: UOL Economia 

comente aqui

Mais devedores buscam limpar o nome

Não é só o Banco Central que mostra que a renegociação de dívidas está em alta. Os números dos birôs de crédito, empresas que administram os bancos de dados de devedores inadimplentes, mostram que a quantidade de tomadores que tem “limpado o nome” avançou no ano. E deve crescer mais, na medida em que os birôs prometem nova rodada de “feirões” para renegociação de dívida no segundo semestre, à semelhança do que ocorreu no ano passado.

A Serasa Experian planeja, a partir de agosto, retomar os eventos de renegociação em massa, afirma Carlos Henrique de Almeida, economista do birô. Segundo Almeida, considerando os quatro primeiros meses do ano, 8,9 milhões de nomes deixaram a lista negra da Serasa, o que representa um aumento de 6,4% ante o mesmo período de 2012. No mesmo período, 11,2 milhões de CPFs passaram a fazer parte do banco de dados, com queda de 2,1%.

Há basicamente duas formas de um devedor limpar seu nome. A primeira é quitar integralmente sua dívida anterior. A segunda é pagar pelo menos a primeira parcela da dívida renegociada.

Na Boa Vista Serviços, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito, as exclusões de CPFs da base subiram 4,1% no primeiro semestre, ante igual período de 2012, e as inclusões caíram 2,4% no mesmo período. O birô não divulga os valores nominais de entradas e saídas.

“Há um crescimento da disposição de credores para negociar dívidas em atraso, em parte graças ao aumento da competição bancária”, afirma Fernando Cosenza, diretor da Boa Vista. O birô, porém, informa um dado importante para se entender o perfil de quem deve: historicamente, 50% dos devedores que são excluídos do seu cadastro – que pagaram suas dívidas portanto – voltam à base de dados “negativa” no período de um ano.

A consulta de tomadores aos bancos sobre liquidação antecipada de dívidas e possibilidade de renegociação de contratos também vem aumentando, relata Nicola Tingas, economista-chefe da Acrefi, associação que reúne bancos e financeiras.

Em parte, esse aumento de consultas é resultado de um maior monitoramento e comunicação dos bancos com seus correntistas sobre as dívidas, com objetivo de evitar que o orçamento do tomador estoure – e que isso acabe em inadimplência para a instituição financeira, afirma Tingas.

Fonte: Valor Econômico

comente aqui

Serasa Experian alerta para ação de golpistas contra os consumidores

 

Para não ser vítima de empresas golpistas e de estelionatários, o consumidor deve ficar atento e analisar com reservas aos anúncios que prometem facilidades para quitar um débito e retirar uma anotação de inadimplência dos órgãos de proteção ao crédito. A melhor opção para regularizar uma pendência financeira é procurar o credor ou obter informações em um dos Postos de Atendimento ao Consumidor da Serasa Experian (consulte aqui).

Na internet, por exemplo, é fácil encontrar sites que vendem manuais, kits e CDs com “informações” sobre como tirar uma anotação de inadimplência sem pagar a dívida, muitas vezes com métodos ilegais. Em média, o consumidor desembolsa de R$ 20 a R$ 50 para obter as “dicas”.

Há ainda casos de empresas que se oferecem como intermediárias para a renegociação da dívida, cobrando do consumidor pelos serviços e outras taxas, o que aumenta o valor da dívida, mas depois desaparecem sem fazer a quitação do débito. Às vezes, o cliente ainda é orientado a fazer um depósito prévio, para assegurar o pagamento do serviço. Ao perceber o golpe, não resta muito a fazer – a maioria das empresas não tem endereço físico e faz todo o atendimento pelo telefone.

“Essas promessas são formas de enganar o consumidor. Não existe fórmula mágica para ter a anotação da dívida cancelada sem que ela seja renegociada ou paga”, alerta Silvânio Covas, diretor jurídico da Serasa Experian.

Por tais motivos, recomenda-se que o consumidor evite os intermediários. “Ele próprio pode procurar diretamente o credor ou buscar os serviços da Serasa Experian e se informar sobre os procedimentos para quitar a dívida. É mais prático, gratuito e mais seguro, pois o consumidor terá a certeza de que o débito será pago e retirada a anotação de inadimplência dos órgãos de proteção ao crédito”, afirma Tomás Carmona, gerente corporativo de relacionamento com consumidor da Serasa Experian.

A orientação da Serasa Experian para quem tem dívidas em atraso é sempre tentar um acordo com os credores. Pelo Código de Defesa do Consumidor, ao ter uma dívida renegociada, a pessoa já pode ter o seu nome retirado dos bancos de dados de anotações de inadimplemento, pois ela continua a ser devedora, mas não é mais inadimplente.

Somente no ano de 2011, cerca de 2,5 milhões de consumidores foram atendidos nos Postos de Atendimento ao Consumidor da Serasa Experian, serviço gratuito em que as pessoas podem pessoalmente consultar o seu CPF, realizar serviços de atualização cadastral, esclarecer dúvidas e receber a orientação necessária para a regularização de pendências financeiras e o cancelamento de anotações de inadimplência (pessoas naturais ou jurídicas).

Serviço gratuito da Serasa Experian orienta consumidor

Regularizar uma anotação registrada nos cadastros proteção ao crédito não é tarefa difícil. O próprio consumidor pode quitar suas dívidas diretamente com os fornecedores e regularizar suas pendências sem precisar contratar serviços de terceiros.

A Serasa Experian oferece o Serviço Gratuito de Orientação ao Consumidor em suas agências nas capitais e principais cidades do Brasil, localizadas sempre em prédios que oferecem segurança e privacidade ao consumidor, além de instalações equipadas com sistema informatizado integrado, o que torna ágil o atendimento.

Veja as situações que geram anotação na Serasa Experian

Cheques sem Fundos CCF – Banco Central
Se o consumidor emitir um cheque sem fundos e este for devolvido duas vezes pelo Banco, seu nome passará a fazer parte do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos – CCF, do Banco Central. O dado será repassado para a Serasa Experian, e será disponibilizado às empresas e instituições que concedem crédito, na maioria dos casos por meio de vendas a prazo.

Protesto de Título
Se, por qualquer motivo, o consumidor tiver uma dívida protestada em cartório pelo credor, este fato será comunicado pelo Cartório de Protestos à Serasa Experian, que armazenará a informação em seu Banco de Dados e a disponibilizará às empresas e instituições que concedem crédito.

Ação Judicial - Execução de Título Judicial e Extrajudicial, Busca e Apreensão de Bens, Falência, Recuperação Judicial e Extrajudicial e Concordata
Se o consumidor for réu em uma execução judicial de dívida ou ação de busca e apreensão de bens ou, ainda, se a empresa na qual tiver participação societária estiver em processo de concordata, recuperação judicial ou extrajudicial ou tiver a sua falência requerida, a informação será disponibilizada às empresas e instituições que concedem crédito.

Dívida Vencida e não paga
O consumidor com uma dívida inexistente e vencida -, ao ter seus dados cadastrados nos computadores da Serasa Experian, será comunicado por carta, na qual será identificada a instituição ou empresa credora e o valor do débito.

Ação de Execução Fiscal Federal
Se o consumidor tiver alguma dívida com um órgão federal, porque deixou de pagar impostos, taxas ou contribuições federais, esta anotação também irá constar no Banco de Dados da Serasa Experian e será disponibilizada às empresas e instituições que concedem crédito.

ORIENTAÇÃO PARA REGULARIZAR DÍVIDAS 

Dívida Regularização
Anotação de Cheques sem Fundos CCF – Banco Central

1 Procure a Agência do Banco indicado como apresentante da ocorrência de cheque sem fundos.
2 Solicite ao banco as informações sobre o número, valor e data do cheque que foi apresentado por duas vezes, sem que houvesse saldo na conta corrente para pagamento.
3 Em seguida, verifique nos canhotos de cheques em seu poder para quem foi emitido o cheque. Procure a pessoa ou a empresa, a fim de regularizar o débito e recuperar o cheque.
4 De posse do cheque, prepare uma carta, conforme a orientação do gerente da sua conta bancária que informou a ocorrência de cheque sem fundos. Junte o original do cheque recuperado, recolha no Banco as taxas pela devolução do cheque e protocole uma cópia dos documentos entregues ao Banco para regularização no Banco Central.
5 Para a regularização no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos – CCF, o correntista deve acompanhar e obter o protocolo da comunicação de regularização do seu Banco para o Banco do Brasil, encarregado pelo Banco Central de processar a atualização do arquivo de CCF.
6 A regularização de cheques sem fundos ocorrerá automaticamente após o Banco do Brasil enviar o comando específico para a Serasa Experian, por meios magnéticos.

Anotação de Título Protestado

1 Dirija-se ao cartório que registrou o protesto, a fim de obter os dados de quem o protestou.
2 Comunique-se com quem o protestou, regularize o débito e peça uma carta indicando que a dívida foi regularizada.
3 Reconheça a firma da pessoa/empresa, retorne ao cartório onde consta o registro do protesto e solicite a sua exclusão.
4 Após o cancelamento do protesto, o cartório repassará a informação para a Serasa Experian para que seja excluída a anotação.
5 Para agilizar a exclusão, o consumidor pode entregar a certidão negativa do cartório na Serasa Experian para o cancelamento da anotação.

Anotação de Ação Judicial – Execução de Título Judicial e Extrajudicial, Busca e Apreensão de Bens, Falência, Recuperação Judicial e Extrajudicial e Concordata 

1 Para a regularização desse tipo de anotação, certifique-se de que o processo já foi julgado e se encontra arquivado ou extinto.
2 A certificação é obtida por meio de cópia do despacho do juiz ou de certidão emitida pela respectiva Vara Cível onde o processo foi julgado.
3 Para agilizar, encaminhe a Certidão de Extinção do Processo para a Serasa Experian. Extinguindo-se o processo, a anotação será excluída.
Na hipótese de apresentação de embargos à execução e/ou apresentação de garantia da dívida, tal informação poderá ser anotada complementarmente no banco de dados, bastando a apresentação de documentos comprobatórios para a Serasa Experian.

Anotação de Dívida Vencida e não Paga

1 Para a regularização desse tipo de anotação, o consumidor deve procurar a instituição ou a empresa credora, que enviará comando específico para a Serasa Experian excluir a anotação.

Ação de Execução Fiscal Federal

1 Para regularizar uma anotação de Ação de Execução Fiscal Federal, basta apresentar a certidão negativa de débito da Justiça Federal ou entregar um documento que comprove o pagamento da dívida ou a realização de acordo.

Fonte: Serasa Experiam

comente aqui

 
 

Crédito e cobrança