IPVA, IPTU, matrícula da escola dos filhos. Todo começo de ano é assim. Muitas faturas, carnês e boletos. Época propícia também para ataque de golpistas, que apostam na confusão que a montanha de cobranças faz na mesa do pequeno empresário e intensificam o envio das tais anuidades ou mensalidades fantasmas. O golpe do boleto falso não é novo, mas mesmo assim ainda faz vítimas. Empreendedores Individuais (EIs), micro e pequenas empresas abertas recentemente são alvo preferencial dos estelionatários. Os golpistas contam com a falta de informação ou dúvidas dos empreendedores sobre os muitos tributos, taxas ou contribuições a que estão sujeitos.

A mecânica do golpe é simples: um boleto falso é enviado via Correios ou e-mail à empresa com um nome parecido ao de uma entidade ligada ao negócio. É uma forma de induzir ao erro. Com receio de ficar com alguma pendência, o empresário acaba pagando. Quem abriu negócio há pouco tempo está mais sujeito a cair na cilada por falta de experiência para identificar a falcatrua.

Como em muitos casos a armadilha funciona, o crime está espalhado por todo o país. Os golpistas se valem do acesso a cadastros de empresas que são vendidos irregularmente. Quem tem dados corporativos e deveria garantir a segurança deles, evitando a divulgação sem autorização, não o faz e, com isso, alimenta as quadrilhas.

Outra irregularidade encontrada se refere a um boleto enviado por uma entidade que até existe de verdade. Trata-se de um convite para, mediante um valor, filiação a uma associação. Porém, a informação de que o pagamento é facultativo não vem clara. No mínimo, é um caso de má-fé, igualmente reprovável.

A melhor maneira de o empresário se proteger é estar atento. Ele precisa verificar quais são os pagamentos obrigatórios e previstos em lei. Sempre que chegar uma cobrança, a primeira medida é certificar-se se o pagamento realmente é devido e buscar ajuda caso tenha dúvida. O contador pode auxiliar nessa tarefa. O Sebrae também pode orientá-lo.

Quem receber um boleto falso tem a possibilidade de procurar as autoridades para que os golpistas sejam punidos.

Em qualquer situação, informação é vital para não ser lesado. O golpe morrerá com o combate aos responsáveis e quando não houver quem o sustente. Muita atenção!

Fonte: Jornal Metro